Pró-Reitoria de Graduação
  • Publicado em 07/07/2020 às 18:00


  • UFSC alcança boa avaliação no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes de 2019

    Publicado em 21/10/2020 às 15:47

    A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) obteve uma boa avaliação no último Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), cujos resultados foram divulgados nesta terça-feira, 20 de outubro, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Dos 29 cursos de graduação da UFSC avaliados nesta edição, 28 obtiveram conceito 4 ou 5, os mais altos. Vários cursos conseguiram manter o conceito máximo desde a última avaliação e alguns alcançaram notas mais altas.

    “Mais uma vez, nossa instituição demonstra as razões de estar entre as mais bem avaliadas.  Mesmo com tantas ameaças,  contestações e cortes, as universidades públicas superam tantos desafios pela resistência de seus estudantes, técnicos e docentes”, disse o reitor Ubaldo Cesar Balthazar. De modo geral, as instituições públicas federais de ensino superior tiveram uma avaliação positiva: dos 510 cursos de graduação que receberam a nota máxima (5) no Conceito Enade, 67% são de universidades federais.

    Nesta edição do Enade (2019) foram avaliados cursos de graduação nas áreas de engenharias, ciências agrárias e da saúde. A UFSC obteve conceito 5 em 11 cursos (Engenharia de Controle e Automação (Blumenau); Arquitetura e Urbanismo; Engenharia Civil; Engenharia de Alimentos; Engenharia de Produção Civil; Engenharia de Produção Elétrica; Engenharia de Produção Mecânica, Engenharia Elétrica; Engenharia Mecânica; Farmácia e Nutrição) e nota 4 em outros 17 cursos de graduação (veja tabela abaixo). “O resultado do Enade representa a dedicação de docentes e técnicos na formação de excelência dos estudantes, em cada um dos cursos avaliados. A UFSC parabeniza todos os participantes, entendendo a importância da avaliação na promoção da educação pública e de qualidade”, avalia o pró-reitor de Graduação, Alexandre Marino Costa.

    Em comparação com avaliações anteriores (de 2016 ou 2017), seis cursos conseguiram uma nota mais alta e outros 14 mantiveram o conceito – entre eles sete cursos sustentaram a nota máxima (Arquitetura e Urbanismo; Engenharia Civil; Engenharia de Alimentos; Engenharia de Produção Elétrica, Engenharia de Produção Mecânica, Engenharia Elétrica e Engenharia Mecânica).

    O rendimento dos estudantes de graduação, ingressantes e concluintes é avaliado anualmente e o de cada curso a cada três anos. O exame é obrigatório para os alunos selecionados e condição indispensável para a emissão do histórico escolar. O Enade objetiva mensurar os conhecimentos, as competências e habilidades desenvolvidas pelos estudantes ao longo da graduação. Levando em consideração seu desempenho nas provas, os cursos são classificados seguindo uma escala de 1 a 5. O conceito 3 reúne a maior parte dos cursos, enquanto aqueles que tiveram um desempenho menor que a maioria recebem conceitos 1 ou 2. Já os que tiveram desempenho superior à maioria, recebem 4 ou 5.

    Os dados podem ser melhor visualizados na tabela abaixo que apresenta os conceitos Enade e Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD) da UFSC:

    Código e-MEC Curso Conceito Enade Conceito IDD*
    Campus Araranguá
    1133610 Engenharia da Computação 3 (2.8166) 3 (2.9301)
    1126962 Fisioterapia 4 (3.4380) 4 (3.1924)
    Campus Blumenau
    1270376 Engenharia de Controle e Automação 5 (3.9724) 4 (3.7670)
    Campus Curitibanos
    1184410 Agronomia 4 (3.5443) 4 (3.6995)
    1184098 Engenharia Florestal 4 (3.4621) 5 (4.1889)
    1175716 Medicina Veterinária 4 (3.1328) 3 (2.7302)
    Campus Florianópolis
    14214 Agronomia 4 (3.8515) 4 (3.3463)
    14215 Arquitetura e Urbanismo 5 (4.4852) 3 (2.5288)
    97099 Educação Física (Bacharelado) 4 (3.6503) 3 (2.4125)
    14225 Enfermagem 4 (3.5554) 3 (2.7849)
    14241 Engenharia Civil 5 (4.2028) 3 (2.5165)
    14226 Engenharia de Alimentos 5 (4.1011) 4 (3.0452)
    14249 Engenharia de Controle e Automação 4 (3.7025) 4 (2.9599)
    35550 Engenharia de Produção Civil 5 (4.7410) 4 (2.9945)
    31945 Engenharia de Produção Elétrica 5 (4.6704) 4 (3.4395)
    23960 Engenharia de Produção Mecânica 5 (4.3969) 3 (2.6678)
    14242 Engenharia Elétrica 5 (3.9865) 3 (2.6479)
    122341 Engenharia Eletrônica 4 (3.9186) 4 (3.4239)
    14243 Engenharia Mecânica 5 (4.1870) 3 (2.3828)
    14247 Engenharia Química 4 (3.9359) 3 (2.8872)

     

    14248 Engenharia Sanitária e Ambiental 4 (3.8652) 3 (2.5041)
    14227 Farmácia 5 (4.1761) 3 (2.2765)
    122343 Fonoaudiologia 4 (3.7164) 3 (2.3886)
    14234 Medicina 4 (3.5243) 4 (3.0205)
    14235 Nutrição 5 (4.5705) 4 (3.1134)
    14236 Odontologia 4 (3.7731) 3 (2.5938)
    111954 Zootecnia 4 (3.1518) 3 (2.8858)
    Campus Joinville
    1270310 Engenharia Civil de Infraestrutura 4 (3.7665) 4 (3.6807)
    1270305 Engenharia Mecatrônica 4 (3.1108) 4 (3.3855)

     

    Os Conceitos e Relatórios Enade por Curso da UFSC podem ser verificados no site http://dpgi.seplan.ufsc.br/enade/.

    Mais informações: https://www.gov.br/inepindicadores-de-qualidade-da-educacao-superior/resultados


  • Câmara de Graduação da UFSC aprova proposta de Calendário Suplementar Excepcional

    Publicado em 13/08/2020 às 21:13

    A Câmara de Graduação aprovou na reunião do dia 5 de agosto, a proposta de Calendário Suplementar Excepcional, com início das aulas não presenciais a partir de 31 de agosto. O Calendário precisará ainda ser referendado pelo Conselho Universitário (CUn) para entrar em vigor. A Câmara debateu prazos, ajustes, Planos de Ensino, e demais questões que poderão surgir com a nova modalidade de ensino durante a pandemia de Covid-19.

    “Essa proposta ainda será apreciada pelo órgão deliberativo máximo da instituição, mas é importante que os cursos, por meio de seus coordenadores, e Núcleos Docentes Estruturantes (NDEs) estejam atentos aos possíveis prazos, para que haja tempo hábil de cumprimento do que foi aprovado com a Resolução Normativa nº 140/2020/CUn“, salienta o pró-reitor de Graduação (Prograd), Alexandre Marino Costa.

    O prazo limite para que os professores encaminhem os Planos de Ensino para os Colegiados de Curso ficou estipulado em 17 de agosto. Em reunião da Câmara realizada em 12 de agosto, o prazo de encaminhamento ao Departamento de Ensino (DEN) da Prograd, das solicitações de ajustes curriculares e das novas disciplinas que serão criadas, foi reajustado para também o dia 17 de agosto.

    Finalmente, os cursos deverão aprovar e divulgar amplamente em seus websites, até 28 de agosto, os novos Planos de Ensino.

    “É importante que os nossos estudantes de graduação fiquem atentos às informações de seus cursos”, ressalta o pró-reitor.

    Apoio

    A pró-reitoria preparou um material informativo para os coordenadores de Curso, presidentes de NDEs e docentes dos cursos de Graduação da UFSC a respeito dos ajustes curriculares necessários para o reinício do semestre 2020.1 em formato não presencial. As orientações abordam, além dos ajustes, a elaboração, aprovação e publicação dos Planos de Ensino das disciplinas que forem oferecidas neste período de calendário excepcional. As informações estão disponíveis neste site.

    Perguntas frequentes

    A pró-reitoria também disponibilizou um guia com perguntas e respostas frequentes para auxiliar as coordenações dos Cursos e NDEs. A Prograd mantém, ainda, uma página para envio e respostas às dúvidas da comunidade: o Portal Prograd – Informação em tempos de pandemia.

    Serviço:

    17 de agosto – prazo para encaminhamento dos Planos de Ensino para os Colegiados de Curso
    17 de agosto – prazo para encaminhamento ao Departamento de Ensino (DEN) da Prograd das solicitações de ajustes curriculares e das novas disciplinas que serão criadas
    28 de agosto – prazo para aprovação e divulgação nos sites dos departamentos de todos os Planos de Ensino

    Mais informações:
    Site de Apoio às Coordenadorias de Curso


  • Edital de Distribuição de Bolsas Emergenciais de Monitoria

    Publicado em 27/07/2020 às 19:42

    A Pró-Reitoria de Graduação da UFSC lança o EDITAL PROGRAD Nº 005/2020 que trata da distribuição de Bolsas Emergenciais de Monitoria durante o período de Atividades Pedagógicas Não Presenciais decorrentes da Pandemia.

    As inscrições, por parte das Chefias de Departamentos podem ser feitas no período de 27/07/2020 a 09/08/2020.

    Acesse o edital aqui

    Acesse aqui o Anexo para ser preenchido e enviado para monitoria.caap@contato.ufsc.br

    Acesse aqui o Resultado Preliminar de Propostas de Monitoria Emergencial homologadas do Edital 005/2020

    Acesse aqui o RESULTADO FINAL DA DISTRIBUIÇÃO DE BOLSAS EMERGENCIAIS DE MONITORIA


  • Editais de Seleção Bolsistas de Iniciação a Docência – PIBID – 2020

    Publicado em 03/07/2020 às 17:12

    O Coordenador Institucional do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) da Universidade Federal de Santa Catarina, no uso de suas atribuições e com base na Portaria GAB nº 259, de 17.12.2019, torna público que estará aberto, no período de 29/06/2020 a 24/07/2020, o processo seletivo simplificado para BOLSISTA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (ID), na forma da legislação vigente.

    Maiores informações: pibid@contato.ufsc.br

    CONTINUE A LEITURA>>>


  • SELEÇÃO DE BOLSISTAS DO PET-SERVIÇO SOCIAL

    Publicado em 25/06/2020 às 10:57

    O Programa de Educação Tutorial – PET, do curso de Serviço Social da Universidade Federal de Santa Catarina está com inscrições abertas de 24 de junho até 3 de julho de 2020, para processo seletivo para preenchimento de vagas para discentes bolsistas.

    Considerando as indicações institucionais de suspensão de atividades presenciais para o período de pandemia da Covid-19, os procedimentos de inscrição e seleção serão realizados todos de forma remota.

    O Edital e demais informações encontram-se no site https://petservicosocial.ufsc.br/


  • SELEÇÃO DE BOLSISTAS DO PET-LETRAS

    Publicado em 19/05/2020 às 12:05

    O PET-Letras torna público o processo seletivo para preenchimento de 01 (uma) vaga para bolsista do Programa de Educação Tutorial. Podem se inscrever estudantes dos Cursos de Graduação em Letras da UFSC que tenham disponibilidade de 20 (vinte) horas semanais e que atendam aos requisitos apresentados no Edital 02/2020/PET.

    Período de inscrição: 12h00min do dia 18 de maio às 12h00min do dia 26 de maio 2020.

    Divulgação das inscrições homologadas: 26 de maio de 2020, após as 18h00min nesta página.

    Primeira etapa: 27 de maio de 2020 (sem a presença do candidato)

    Resultado da primeira etapa: 27 de maio de 2020 após às 18h00min (divulgação do link para acesso a sala e horário da segunda etapa).

    Segunda Etapa: 28 de maio de 2020 (entrevista virtual).

    Resultado Final: 29 de maio de 2020 após às 18h00min nesta página.

    Mais informaçõeshttps://petletras.paginas.ufsc.br/2020/05/15/selecao-de-bolsistas-edital-022020pet/


  • UFSC seguirá orientações científicas para planejar retorno às atividades presenciais

    Publicado em 05/05/2020 às 11:41

    A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) vai acompanhar atentamente a evolução da pandemia de Covid-19 e seguir recomendações científicas ao elaborar um plano de retorno das atividades presenciais. A decisão está sendo tomada pela Administração Central e discutida com os gestores e diretores dos Centros de Ensino da Universidade nas últimas semanas.

    Nesta segunda-feira, 4 de maio, o reitor Ubaldo Cesar Balthazar declarou estar criando comitês específicos para tratar de temas relativos às atividades da UFSC durante a pandemia. Haverá um comitê central e um comitê assessor, e cinco comitês temáticos: científico, de comunicação, administração e infraestrutura, um acadêmico e um de assistência. O reitor anunciou que os comitês serão formados por gestores e representantes das entidades de docentes, técnicos e estudantes.

    >> Assista aqui, ao pronunciamento do reitor Ubaldo Cesar Balthazar

    Será, necessariamente, um planejamento de longo prazo, com a adoção gradual de medidas. Cada medida tomada será monitorada por um certo tempo, podendo ser modificada ou mesmo revertida se tiver impacto que possa colocar em risco a saúde das pessoas envolvidas. Esse processo exigirá um levantamento detalhado de informações sobre a comunidade universitária, os processos e as atividades acadêmicas e administrativas da UFSC. Essas diretrizes, afirma a Administração Central, têm foco, em primeiro lugar, na preservação da integridade da comunidade universitária.

    Os pressupostos e as diretrizes a serem consideradas na elaboração do plano de retomada das atividades presenciais foram definidos com base em estudos científicos, principalmente a assessoria de um grupo de engenheiros, matemáticos, físicos e outros profissionais da UFSC, Univille e Univali, com a participação do professor Oscar Bruna-Romero, do Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia (MIP/CCB) da UFSC, que desde o início de março tem municiado a instituição com informações epidemiológicas para a tomada de decisões. Esse grupo estuda e analisa o comportamento da pandemia em Santa Catarina por meio de modelagens matemáticas, e publica neste site suas análises, notas técnicas e metodologia. Parte desse grupo deverá compor o comitê científico a qual o reitor se refere no vídeo, porém há a possibilidade, ainda, de ampliar o escopo de análise, incrementando o comitê científico com pesquisadores de outras áreas da UFSC.

    >> Assista aqui a um vídeo com trechos da entrevista com o professor Oscar Bruna-Romero

    O reitor Ubaldo, em seu pronunciamento, fala de um “novo normal”, de uma construção da UFSC a partir da pandemia. O professor Bruna-Romero também aponta que planejar uma retomada não significa pretender uma volta à normalidade, a um estado de coisas como tínhamos antes da pandemia. Segundo o professor, as pessoas têm dificuldades de lidar com a temporalidade dessas doenças que se estendem por muito tempo. “A gente fica com uma ansiedade enorme de estar isolado no domicílio, de não poder fazer as coisas que a gente fazia antes”.

    Nesta fase da pandemia, provavelmente teremos que enfrentar vários meses de restrições e limitações de atividades. Estudos indicam, ainda, que o mundo poderá enfrentar outros episódios (ondas) da Covid-19 durante dois ou três anos. “Existe a possibilidade de termos que entrar e sair em períodos de isolamento, alternadamente”. Por isso, o professor salienta que todos devem pensar numa “nova normalidade”, que considere as possibilidades de trabalho remoto, atividades em grupos menores e outras formas alternativas de trabalho. “Isso leva à necessidade de planejamentos de processos, planejamentos institucionais”.

    Diretrizes

    Em um documento apresentado à Administração Central da UFSC, o grupo de pesquisadores propõe a adoção de algumas diretrizes e pressupostos a serem considerados no planejamento do retorno. Pode ser que outras orientações sejam apresentadas também pelos comitês responsáveis pelo planejamento.

    Faixa etária – O estudo destaca que grande parte dos contaminados pela Covid-19 concentram-se numa faixa etária que compreende jovens e adultos (76% no grupo entre 20 e 59 anos), mas que a letalidade é maior em pessoas mais idosas (67% entre as pessoas com mais de 60 anos). Esses dados indicam que a preferência de retorno presencial deve ser dada às pessoas mais jovens.

    Comorbidades – São outras doenças preexistentes. Nestes casos, é necessário observar especialmente portadores de doenças pulmonares crônicas, como a asma, cardiopatas e pessoas com diabetes e pressão arterial elevada. Independentemente da idade, essas pessoas têm mais riscos de desenvolver a forma grave da doença, por isso devem ser preservadas e receber um tratamento diferenciado. Ressalta-se, também, que a Administração Central estuda outras necessidades especiais, como a coabitação com pessoas idosas ou com comorbidades, ou ainda, famílias com crianças em idade escolar que não podem voltar às escolas em razão da pandemia.

    Divisão em grupos – Essa proposta, baseada na experiência de alguns países que estão iniciando um processo de retorno às atividades econômicas e sociais, sugere a divisão dos grupos em subgrupos de 1/3. Nesta proposta, aplicada às aulas, um terço teria atividades presenciais pela manhã, um terço à tarde e um terço ficaria em casa, realizando atividades de forma remota. Essas proporções podem ser adaptadas à realidade da UFSC (um terço por semana, um terço por dia, a depender das características de cada curso ou setor). Pode-se inclusive adotar outras proporções, como 1/4 ou até menores. “Cada atividade deverá encontrar a melhor forma de divisão, mas continuarão em vigor as demais precauções, como o distanciamento entre as pessoas, a ventilação dos ambientes”, alerta o professor Bruna-Romero.

    Passaporte de imunidade – Por falta de evidências científicas até o momento, os pesquisadores recomendam que a Universidade não adote o chamado “passaporte de imunidade” para dar preferência a essas pessoas no retorno às atividades. Em muitas doenças, os pacientes curados adquirem imunidade ao agente infeccioso. Mas isso não está comprovado para a Covid-19. Segundo o professor Bruna-Romero, apenas uma parte da população que enfrentou a doença adquire os anticorpos para ficar imune. “Observa-se que há pacientes reinfectados ou que se reativa neles a infecção poucas semanas após terem passado pela primeira”. Como não há dados confiáveis sobre o contágio e não é possível dimensionar a parcela da população que realmente ficou imune, o chamado “passaporte de imunidade” deve ser desconsiderado.

    Informação – Segundo o professor Bruna-Romero, as pessoas que estão sujeitas à contaminação precisam saber a todo momento qual é a situação da doença. “A UFSC deverá se comunicar com seus membros de maneira intensa e extensa, para que eles saibam qual é o risco e como a Universidade está agindo a respeito disso”. Para isso, a UFSC deverá usar de recursos de comunicação e criar grupos para responder às dúvidas da comunidade. “Transparência e comunicação serão fundamentais para envolver a comunidade no retorno”.

    Transição

    O caminho até a nova normalidade deverá seguir três fases, segundo propõe o professor. Nas primeira fase, a de transição inicial, será preciso adaptar processos. “Não podemos mudar de hoje para amanhã todo o procedimento do que estava instituído na UFSC”, diz o professor, citando que existem planos de ensino, semestres a serem cumpridos e exigências legais e normativas que precisam ser observadas. “Temos que considerar o que já existe, absorver isso e adaptar para chegar à nova normalidade. Isso exigirá de todos altas doses de planejamento, vai requerer uma flexibilidade que às vezes não estamos acostumados”.

    Após as adaptações, o estudo sugere uma fase de consolidação das atividades, um período para verificar se as adaptações dos processos e atividades acadêmicas e administrativas funcionam no novo formato, e recertificar as mudanças feitas. Se constatado que tudo isso funciona e atende às exigências e requisitos, isso será a nova normalidade.

    Para a elaboração de um planejamento consistente será necessário “dissecar” a Universidade, segundo Bruna-Romero. “Nestes momentos de transição e consolidação a gente vai precisar conhecer a Universidade muito melhor do que a gente conhece na atualidade”, afirma. As atividades de cada um, de cada Centro de Ensino, cada matéria, cada tipo de especialidade, cada tipo de pesquisa terão que ser conhecidos em detalhes. Além disso, o planejamento deverá levar em conta o estado geral da saúde das pessoas da comunidade universitária, suas debilidades. “A universidade, por definição, é um universo de possibilidades, e a gente não conhece todas elas”.

    Qualquer ação de retomada de atividades presenciais exigirá articulação com outras instituições e com as diferentes esferas de governo. O professor Bruna-Romero cita a relação de interdependência entre a UFSC e as cidades que abrigam seus campi. Haverá a necessidade de diálogo com as administrações dessas cidades a respeito do funcionamento dos transportes coletivos, das estratégias de alimentação da comunidade universitária, entre outros pontos. “Podemos precisar de várias adaptações no ambiente onde a Universidade está, e essas adaptações dependem da  colaboração das prefeituras”, destaca o pesquisador.

    Uma das tarefas mais complexas do plano será estabelecer prazos e cronogramas, mas é certo que o planejamento deverá ter um horizonte de vários meses. Será necessário definir quanto tempo se levará nesse processo de retorno às atividades presenciais e também qual será o momento adequado para iniciar este retorno. Esse momento de início do retorno deverá ser definido primordialmente pelo risco à saúde das pessoas. “Não sabemos em que momento poderemos marcar a data inicial de retorno. Só poderemos marcar a data quando tivermos conhecimento suficiente para afirmar que não estamos colocando em risco a vida dos membros da UFSC”, ressalta o pesquisador. Para isso será preciso acompanhar a evolução da pandemia.

    Aulas

    Em relação às aulas e outras atividades acadêmicas, o retorno às atividades presenciais deverá cercar-se de vários cuidados. O distanciamento entre as pessoas é uma medida que deverá estar presente no cotidiano da Universidade durante muito tempo ainda, por isso deve-se evitar qualquer atividade que represente uma aglomeração. “Não poderemos ter aulas presenciais com a mesma quantidade de alunos juntos no mesmo espaço; não poderemos ter o Restaurante Universitário com a mesma quantidade de pessoas almoçando ou jantando junto ao mesmo tempo. A mesma coisa para a Biblioteca Universitária, festas e solenidades”, destaca o professor.

    Além do distanciamento entre os alunos e destes com os professores, várias outras coisas devem ser consideradas para retorno às aulas presenciais, tais como a ventilação adequada das salas, a necessidade ou não do uso de máscaras por alunos e professores, a necessidade do uso de microfones, a forma de apresentação de perguntas. “Existem mecanismos de todo tipo para evitar o contágio dessa doença e deverão ser todos considerados”.

    Outro fator muito importante é o estado de saúde de todos os que estarão participando das aulas presenciais. Será necessário adotar medidas e cuidados para que nenhuma pessoa doente possa estar em sala de aula. “O conjunto de medidas deverá ser suficiente para a proteção de todos que estejam assistindo ou ministrando as aulas”.

    Vídeo

    A equipe da Agecom editou os principais trechos da entrevista, via internet, com o professor Oscar Bruna-Romero. Confira abaixo.

     

     

    Saiba mais:
    Site Covid-19 SC/Brasil


  • PET COMPUTAÇÃO – Resultado processo seletivo

    Publicado em 03/04/2020 às 11:22

    O PET Computação, da UFSC, torna público o resultado do Edital No 1/2020/PET INFORMÁTICA/UFSC

     

    Continue a leitura>>>


  • FUNCIONAMENTO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS PROGRAD

    Publicado em 20/03/2020 às 9:21

    Em atendimento à PORTARIA NORMATIVA Nº 354/2020/GR, DE 18 DE MARÇO DE 2020, que suspende por 7 (sete) dias, o expediente presencial nas atividades técnicas e administrativas, informamos que, neste período, a PROGRAD estará trabalhando de forma remota.

     

    Listamos abaixo o endereço eletrônico que cada setor da PROGRAD estará monitorando:

    • Departamento de Administração Escolar – DAE/PROGRAD:

    dae@contato.ufsc.br

    •Departamento de Ensino – DEN/PROGRAD:

    den.prograd@contato.ufsc.br

    • Departamento de Integração Acadêmica e Profissional – DIP/PROGRAD:

    dip.prograd@contato.ufsc.br

    • Comissão Permanente do Vestibular – COPERVE:

    coperve@coperve.ufsc.br

    • Comissão Permanente de Pessoal Docente – CPPD/PROGRAD:

    cppd.prograd@contato.ufsc.br

    • Coordenadoria de Apoio Pedagógico e Avaliação – CAAP/PROGRAD:

    apoiopedagogico@contato.ufsc.br

    • Coordenadoria de Apoio Administrativo:

    prograd@contato.ufsc.br